O desenvolvimento das crianças, uma ajuda as mães

Atualizado: 3 de Set de 2018


"Talvez, a tarefa mais difícil de sermos mães, não seja a de controlar o comportamento dos nossos filhos, mas sim, controlar o nosso próprio!"

A criança, logicamente, está em processo de desenvolvimento: físico, intelectual e também emocional. Sim! A gente aprende ao longo da vida como manejar nossas emoções, tanto as negativas quanto as positivas. As crianças percebem as coisas de modo muito direto, forte e irreversível.


Lidar com as emoções que cada situação provoca pode causar desordenamento, agressividade, confusão, uma profunda tristeza ou até mesmo euforia. Não é incomum, por exemplo, ver uma criança chorando copiosamente por causa de uma situação aparentemente pequena ou extremamente eufórica diante de um acontecimento simples.


Quando o adulto responsável entende esse processo do desenvolvimento infantil, ele pode então se tornar um professor, guia ou modelo para o manejo adequado daquilo que a criança sente. Sentir nunca é errado. Mas o que cada um faz com aquilo que sente é o que realmente faz a diferença. A melhor forma de ensinar é sendo modelo.


Deixe que a criança veja você lidando de uma forma adequada com as suas próprias emoções. Um adulto que chantageia, grita, chora e se descabela dificilmente conseguirá servir de modelo. Esse adulto precisa aprender para si mesmo, antes de cobrar que a criança faça sozinha. O adulto pode aprender certas coisas lendo e buscando informações. Porém, a criança aprende quase tudo fazendo. Ela precisa usar o seu corpo e a sua mente de forma ativa. O que mais interessa à criança é o processo de fazer as coisas. Se você já está no comando das suas próprias emoções, o próximo passo é estar atento a ajuda que a criança precisa, criando condições para que ela possa acalmar-se e então construir comportamentos apropriados.


Você incentiva o processo com elogio sincero. Para além do manejo de emoções, o encorajamento favorece a construção da autoestima e da autoconfiança, fundamentais para uma vida.


Quer mais dicas e informações sobre nosso serviço de "Orientação de Pais"?

clique aqui